Você está aqui: Home Cotidiano Sindicato dos Taxistas aponta ilegalidade do Uber na Capital

Sindicato dos Taxistas aponta ilegalidade do Uber na Capital

Uber está há um mês na Capital e tem até escritório

O Sindicato dos Taxistas assegura que, por enquanto, a atividade do Uber em Rio Branco é ilegal. Mas, não ignora a presença de alguns carros que já operam na cidade. Na manhã desta quinta-feira, a Polícia de Trânsito flagrou um Uber por meio de denúncia.

Os taxistas e mototaxistas acompanham toda a movimentação dos carros Uber através de grupos do Whats App. Foi através de um desses grupos que eles viram que a Polícia de Trânsito retirou de circulação mais um desses veículos antes das 8h da manhã de hoje.

“Temos uma lei que foi copiada de BH, Minas Gerais, na qual ela trata o transporte clandestino de todo segmento, carga ou passageiro, de uma maneira mais dura.
Apreensão do veículo e uma multa de mil e duzentos reais. Então assim, a pessoa que está entrando nesse serviço tem consciência que ele é ilegal”, disse o presidente do Sindicato dos Taxistas do Acre, Esperidião Teixeira.

O Uber se estabeleceu em Rio Branco há 1 mês. A empresa tem escritório na Capital. A modalidade de contrato de serviço por celular já é usada em 108 países. E rende milhões de dólares ao dono da ideia. De 2009, quando foi fundada, até 2014, a empresa já tinha acumulado US$ 18,2 bilhões.

Em todo o mundo, são mais de 1,5 milhão de motoristas que descontam 20% de cada corrida para o dono do Uber. Na conta dos motoristas, ficam todas as despesas, desde a compra do carro, taxas, combustível e principalmente gastos com a manutenção do veículo.

O lucro do motorista geralmente não cobre os gastos. Os motoristas são autônomos e não há vínculo empregatício. “Após a pessoa ficar com esse veículo do Uber por um ano, ela vai perceber que o dinheiro ganho com essa atividade não tem condições nem de manter o veículo. Mas, nesse primeiro momento, parece vantajoso”, afirmou o presidente do Sindicato dos Taxistas, Esperidião Teixeira.

Por todo o Brasil, onde chegou o Uber provocou reações agressivas por parte dos taxistas e mototaxistas. Eles argumentam que isso faz parte de uma estratégia da empresa: primeiro destruir a competição para, em seguida, monopolizar o mercado.
Ainda nesta semana um fato chamou a atenção, em Porto Velho (RO), mais de 10 taxistas se uniram para realizar uma emboscada contra um motorista do Uber. O veículo do rapaz foi completamente destruído e ele chegou a ter a camiseta rasgada pelos agressores.

A população da Capital permanece dividida em relação ao aplicativo.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado