12 Agosto 2017 Written by 

O Acre precisa avaliar com cuidado e cautela a entrada nesse consórcio. A ideia, em si, é ousada, sem dúvida. Mas, coloca o Acre diante de concorrentes com muito melhor estrutura econômica.

Disputas

O leitor certamente já teve aqueles colegas de classe que só tiravam 10 nas provas. Eram os chefes das “tropas”. Na escolha de grêmios estudantis, sempre encabeçavam as disputas. Mantinham certo decoro em função da vigilância do diretor e do bedel plantonista.

Disputas II

Pois eis que esses meninos cresceram e se tornaram governadores. Um do Acre e outro do Mato Grosso. Tião Viana e Pedro Taques rasgam um para o outro aquele sorriso machadiano, de canto de boca, como quem diz “te pego lá fora”. Mantêm o decoro desde os tempos de Senado, mas as plumas das vaidades de um e de outro não se tocam. Republicanamente, vão se tolerando. É o jogo.

Encontro

A 15ª edição do Fórum de Governadores da Amazônia Legal teve quatro câmaras temáticas: Segurança, Meio Ambiente, Planejamento e Comunicação. De prático, os governadores referendaram politicamente a criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável. Vão colocar os respectivos procuradores gerais dos nove estados para discutir, do ponto de vista legal, o que deve ser feito para “quebrar ou diminuir” as barreiras fiscais entre os estados.

Vigilância

O Governo Federal assiste desconfiado à movimentação. Nunca gostou dessa ideia, fortalecida na primeira metade dos anos 2000, que pode refundar o Pacto Federativo em bases estritamente econômicas e com possibilidade de diminuição de receitas. É uma desconfiança.

Cuidados

O Acre precisa avaliar com cuidado e cautela a entrada nesse consórcio. A ideia, em si, é ousada, sem dúvida. Mas, coloca o Acre diante de concorrentes com muito melhor estrutura econômica. A nossa cadeia produtiva melhor consolidada, a da carne, pode ser gravemente ameaçada. No extremo, é possível que ocorra com a carne o mesmo que ocorreu com o leite: antes auto-sustentável na produção de leite, agora o Acre toma o produto de Rondônia, do Mato Grosso do Sul e outras regiões. Leite acriano mesmo tem produção residual.

Rédea

Se deixar a rédea solta, apenas regulada pelos humores do comércio e do mercado, é possível que o produtor de carne acriano sofra gravemente. Claro que esse é um raciocínio extremo. Mas, serve para ilustrar a cautela com que esse tema deve ser analisado.

Bruno

E o menino Bruno voltou! Para deleite da imprensa... acriana? Não somente. O assunto tem repercussão global. O mundo anda meio estranho.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado