05 Dezembro 2017 Written by 

Na avaliação dos tucanos de bico duro, o deputado Major Rocha não perde nada se sair candidato ao Governo do Estado, mesmo sem chance de ser eleito. Ele é aposentado da PM. Ainda garante a eleição da irmã para Aleac e se livra do chapão do PMDB.

Guerra

O nome do oftalmologista Eduardo Veloso (PSDB) está longe de ser consenso dentro da oposição. Não duvidem da possibilidade de um racha e uma quarta candidatura ao Governo do Estado. Com três candidaturas de oposição, Marcus Alexandre (PT) pode encomendar o paletó para a posse.

Origem

Nos bastidores, afirmam que a “indicação” de Veloso passou por um convencimento pecuniário irrecusável. Convenceu facinho um membro importante do Conselho de Notáveis de Gladson.

PSD

O PSD é um dos partidos que não ficou lá muito satisfeito com a indicação. O presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, candidato a deputado federal, por exemplo, entende que a oposição precisa ter uma mulher de vice. Ele defende a indicação de Marfisa Galvão, mulher do senador Sérgio Petecão ou Rosana Nascimento (PPS), da Cut/Sinteac.

E por falar...

E, por falar em Rosana Nascimento, é fato que o nome dela aglutina qualidade, por vir de dentro do movimento sindical. No entanto, é bom ela tomar cuidado com os excessos. O TRE está de olho e não passam despercebidas manifestações com camisetas da CUT.

4ª via

A quarta via poderá acontecer, caso Eduardo Veloso, seja preterido. O PSDB não vai aguentar ser humilhado pela segunda vez. Na primeira, para refrescar a memória, o partido depois de selar um acordo com Gladson, anunciou que indicaria o vice. Agora, novamente, Cameli disse que o PSDB indicaria o vice. Se voltar atrás mais uma vez, a guerra da Coreia do Norte será fichinha.

Folga

Na avaliação dos tucanos de bico duro, o deputado Major Rocha não perde nada se sair candidato ao Governo do Estado, mesmo sem chance de ser eleito. Ele é aposentado da PM. Ainda garante a eleição da irmã dele para a Assembleia Legislativa e se livra do chapão formado para salvar o Vagner Sales (PMDB).

PMDB sendo...

Ilderley Cordeiro e Vagner Sales, ambos do PMDB, travam a pior briga política interna do Acre, na surdina. Vagner elegeu Ilderley para que este mantivesse a turma dele “bem ocupada” na prefeitura e ajudasse na campanha de reeleição da filha dele para federal. Ilderley começou lançando um tio dele para disputar com a filha de Vagner.

... PMDB

Em seguida, Ilderley começou a demitir os apadrinhados de Vagner. Está colocando todo mundo na rua, para desespero do cacique, que anda pedindo pelo amor de Deus, que alguém coloque um freio no rapaz.

Descuido

Líder de um partido da FPA está vivendo momentos de tensão. É que o dito cujo levou uma moçoila para um motel e a malvada fez várias fotos e agora está ameaçando mandar tudo para a esposa do cidadão, se ele não pagar uma quantia considerável. Uma amostra do estrago já foi dada. Outras lideranças partidárias receberam foto do dom Juan pelado, no motel.

Comércio na fronteira

Governo do Acre quer fortalecer comércio na fronteira. E a Dom Porquito é a pérola da vez. O fato é que o frigorífico é grande tem capacidade de abate de 1,6 mil cabeças de porco por dia atuando em dois turnos de trabalho. Mas, os problemas para manter girando essa máquina de beneficiar porco não são poucos.

Comércio na fronteira II

Atualmente, a Dom Porquito abate uma média que transita entre 150 a 180 cabeças diárias e atende clientes da Capital (Rio Branco), Rondônia, Manaus e Roraima. O que o governador Tião Viana fez na manhã desta terça-feira (5) foi articular politicamente para que a Bolívia também importe a carne de porco do Acre.

Bolívia

A Bolívia quer a carne sem processamento. Eles querem processar a carne para abastecer “a parte alta do país”. Evo Morales é pressionado internamente para aumentar a fiscalização nas fronteiras com o Chile e com o Brasil. Na fronteira com o Acre, se consome carne de porco da Sadia, Perdigão e tantas outras marcas brasileiras “das grandes”. O que Evo quer é que a carne seja beneficiada na Bolívia, embora, neste primeiro momento, aceite a comercialização da carne produzida no Acre.

Diplomacia

Nesse aspecto, o governador faz o que exige a liturgia do cargo: usa a diplomacia para viabilizar negócios. A costura na arena política tenta passar como trator por gargalos já conhecidos por quem produz carne no Acre: infraestrutura.

Diplomacia II

São vários os gargalos da produção de carne de porco aqui. Enquanto a diplomacia consegue abrir mercados, a produção não segue o mesmo ritmo. Para atender os atuais clientes, a Dom Porquito já teve que, recentemente, comprar porco do Mato Grosso porque não havia insumos suficientes para abastecer a indústria.

Sem contar...

Isso sem contar os relatos de pessoas que já tentaram (ou tentam produzir carne de porco sem apoio oficial). As narrativas são impublicáveis.

Silêncio

Essa torca de cadeiras no Iapen que acaba beneficiando o PDT foi feita de uma forma tão silenciosa que até levanta suspeitas e alimenta especulações. Por uma série de motivos: 1) Aberson Carvalho de Souza, que vai cuidar do sistema prisional no lugar de Martin Hessel, já esteve atrás das grades quando a PF deflagrou a Operação Dèjavú. A PF investigava desvio de dinheiro público envolvendo os Oscip que mantinha relações com o Governo do Acre; 2) Quem deve substituir Aberson na Secretaria de Meio Ambiente de Rio Branco é a vereadora Elza Mendonça (PDT) que (caso aceite o novo cargo) sai da Câmara dos Vereadores para a entrada de Sandra Asfury, esposa do ex-secretário de Estado de Habitação nos bicudos tempos de Operação Lares, Jamyl Asfury.

Silêncio II

A falta de transparência alimenta a hipótese de que, em época de campanha aberta para eleição de 2018, o Governo do Acre pode ter dado um tremendo "cala boca" para Jamyl Asfury (PSC), plenamente informado sobre todos os meandros de um dos maiores escândalos de corrupção envolvendo habitação popular no Acre.

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado