06 Dezembro 2018 Written by 

Já existem articulações ocorrendo [para eleição na Fieac], embora haja um esforço quase ingênuo em defender a ideia de que a Fieac está alheia às disputas de poder.

Só o começo

O PSDB que nem pense que a situação em relação à Secretaria Estadual de Agricultura está definida. Ainda tem muita água para rolar debaixo dessa ponte e o PSD vem cheio de balseiros. A queda de braço está só começando.

Só o começo II

Até o secretariado de Gladson assumir, ninguém tem certeza de nada. Pode dormir secretário e acordar substituído. A corte sabe de suas inseguranças. Por isso, ninguém comemora antes da hora.

Mistério

Ainda envolto em mistério, o nome que assumirá a Segurança do Estado. João Pires se recusa a dar a cara à tapa. Afinal, trocar o MP pelo incerto governo não é uma boa pedida. Além disso, assusta a bravata do vice-governador de que controlará a violência em 6 meses. Com base nessa declaração, seria bom a equipe de transição começar a procurar quem possua varinha de condão.

Mago

O primeiro mago já se apresentou e atende pelo nome de Walter Prado. Pelo jeito, a bateria da varinha de condão está bem carregada, pois ele disse que está à disposição para atuar na Segurança. É só o governo chamar. E acrescenta que dá, sim, para controlar a violência em 6 meses.

Diferente

Deputado Nelson Sales reuniu o que há de mais conservador no universo em torno de uma sessão para homenagear a Bíblia. A cada discurso proferido na tribuna da casa, recuava-se 100 anos. Por sorte os anjos não frequentam a Casa do Povo, senão teríamos o risco de algum dizer amém para aquelas ideias.

Demais

O surto de bondade que acometeu o governador Tião Viana (PT) para com o governador eleito Gladson Cameli (PP) cheira a um acordo de “cavalheiros”, daqueles que não se pode adjetivar. Gladson estará com a faca e o queijo nas mãos a partir de 1º de janeiro e Tião vulnerável e sem mandato.

Demais II

Parlamentares da base de sustentação do governador Tião Viana nem escondem a suspeita que ele esteja se protegendo. O problema que Tião não está levando em conta é que Gladson não costuma cumprir o que promete.

Leal

Podem dizer o que quiser da deputada Juliana Rodrigues (PRB), menos desacreditar da lealdade dela. Ela sempre deixou claro que é da base de sustentação de Tião Viana até o dia 31 de dezembro de 2018 e da base de sustentação de Gladson Cameli a partir da zero hora de primeiro de janeiro de 2019.

Leal II

Mas, até a hora fatídica, Juliana vai defender Tião com unhas e dentes e votar tudo de acordo com o que ele pedir. Novo ano, novas ideias e, segue o baile.

Sebrae

As eleições para a superintendência do Sebrae Acre e para a presidência do Conselho Deliberativo do Sebrae foram recheadas de polêmicas. O clima nada amistoso ficou por conta do atual presidente do Conselho, Jurilande Aragão e o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária, Assuero Veronez. São impublicáveis as palavras de afeto que se falou durante a votação. Veronez mais ouviu.

Perda

Gladson Cameli ainda nem assumiu e já se percebe, na prática, a necessidade de que o governador eleito tenha um articulador político. Uma pessoa que conceba ideias e defenda o que for estratégico para o Governo. O futuro chefe da Casa Civil, José Ribamar Trindade de Oliveira, já se mostrou pouco hábil nessa seara.

Salomão

No Sebrae, Gladson se expôs ativamente nas articulações para eleger Marivaldo Melo. Deu no que deu. E nas eleições da estratégica Federação das Indústrias do Acre? A escolha do novo presidente ocorre ou em março ou em abril. É a previsão ordinária. O mandato do atual presidente encerra no dia 30 de junho de 2019. Quem será o sucessor escolhido por Gladson? Há quem diga um nome conhecido da instituição.

Articulações

Já existem articulações ocorrendo, embora haja um esforço quase ingênuo em defender a ideia de que a Fieac está alheia às disputas de poder. São 10 votantes (presidentes de sindicatos patronais). É uma confraria qualificada. Como em todo ambiente de corte, há disputas em jogo. Gabinete Civil que não tenha articulação direta com a Fieac é algo ruim para todos.

Festa

O Gabinete de Gladson precisa se habituar rápido a essa rotina. Há gente experiente ao lado do futuro governador. Mas parece que o tempo fora do poder não fez bem. A festa nem começou e Gladson já levou a primeira “canelada”.

Jenilson

Deputado Jenilson Lopes (PCdoB) leu e não concordou com o que a coluna disse na edição anterior. Refuta a ideia de que virá a compor a base de sustentação de Gladson Cameli. Negou também que vá sair do Partido Comunista. Sobre o assunto, disse. “Recebi convites, de vários partidos do meu campo. Inclusive antes das eleições ! Mas até agora não respondi nenhum. Sobre o PDT admiro a história do partido, mas se saísse do PCdoB, certamente eu não iria para o PDT caso a decisão do mesmo fosse compor a base do próximo Governo”. Ouviu, Tchê?

Sugestões, críticas e informações O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado