Você está aqui: Home Política Motoristas de aplicativo partem para pressionar vereadores

Política

Motoristas de aplicativo partem para pressionar vereadores

PL do Executivo deve ser apreciado hoje (10)

Motoristas de aplicativos se mobilizam para participar da discussão da lei que atinge a categoria. Nesta terça-feira eles pretendem lotar a câmara de vereadores para protestar contra projeto apresentado pela prefeitura e que atinge o setor de transporte privado de passageiros.

Como ainda não possuem sede própria, os motoristas de aplicativos marcaram a reunião no estacionamento térreo de uma loja de departamentos de Rio Branco. O local também oferece condições de comportar muita gente e muitos carros.
O motivo do encontro: reagir a um projeto de lei enviado pela prefeitura à Câmara de Vereadores de Rio Branco e que em tese, pode inviabilizar a atuação dos aplicativos de transporte privado de passageiros.

"Nós queremos ter o direito de trabalhar honestamente e queremos uma regulamentação que seja favorável ao motorista. Existem algumas propostas, entre elas uma que inviabiliza o uso de quem vai dirigir por aplicativo. Então temos contra propostas para a prefeitura de Rio Branco", explica o presidente da associação de motoristas de aplicativos autônomos do Acre (Amaac).

Em Rio Branco, existem cerca de 1000 motoristas ligados a quatro aplicativos de transporte privado. A maior parte deles trabalha para o Uber. Muitos atuam para vários aplicativos por que não são precisam dirigir exclusivamente para uma ou outra plataforma.

Entre os aspectos da lei criada pela prefeitura e que preocupa a categoria estão os impostos. Um deles é uma taxa de 2% sobre todas as corridas. No caso do Uber, mesmo autônomos, os motoristas já pagam 25% de cada cliente transportado. Eles alegam que outros custos são insustentáveis. Além disso, a categoria diverge de outros pontos da lei.

"Tem a questão de idade mínima do carro que na proposta da prefeitura tá de 5 anos e nós queremos que seja 10 anos. A identificação do carro do aplicativo, que na lei federal proíbe, e pela proposta tá sendo pra adesivar, identificados e isso é ruim para gente por que nós somos motoristas particulares, então não tem como identificar nossos carros", explica.

Os motoristas de aplicativos querem ser ouvidos e por isso vão participar da sessão desta terça-feira na Câmara Municipal. A associação da categoria quer reunir aqui 300 motoristas pra lotar o parlamento mirim e, com isso, demonstrar força. Uma comissão já agendou reunião com os vereadores.

O projeto de lei que regulamenta a plataforma Uber e outros aplicativos semelhantes pode entrar em votação. O vereador Roberto Duarte também tem um projeto de regulamentação que trata do mesmo tema, mas que está a cerca de um ano tramitando na casa. Ele argumenta que sua proposta atenderia a demanda dos motoristas particulares, com possibilidade de adequações do executivo municipal.
Mas o projeto enviado semana passada pela prefeitura, segundo o vereador tem propósito totalmente contrário do que o dele.

"O projeto que veio da prefeitura visa burocratizar e aumentar os custos tanto para os aplicativos quanto para os motoristas desses aplicativos. Ou seja, inviabilizando o sistema no município de Rio Branco. Já tive notícias de que o representante do Uber se aprovado esse projeto da prefeitura, vai embora do município de Rio Branco", afirmou.

Segundo Duarte, o projeto pode ser levado à votação em regime de urgência. Se isso acontecer, até quinta-feira pode ser apreciado.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081

Fique Conectado