Comerciante registra horror em forma de acidentes de trânsito

Há quatro anos ele coleciona imagens que impressionam

Um comerciante do bairro Conquista em Rio Branco tem em casa um verdadeiro acervo de arquivos de acidentes de trânsito. Ele equipou o comércio com câmeras de vigilância, que acabaram tendo como principal função, registrar colisões e outras ocorrências de trânsito. O comerciante pede atenção ao cruzamento perigoso, que merece intervenção urgente.

As cenas impressionantes foram registradas em junho de 2013. Na época, a TV Gazeta noticiou o grave acidente ocorrido no cruzamento das ruas Otávio Rola e Floresta, no Bairro Conquista, em Rio Branco. Na época, era apenas o relato de um fato grave, onde por sorte, o motociclista envolvido, saiu apenas com fratura em uma das pernas.

Mas de lá pra cá, nada mudou. O proprietário deste mercantil continua a arquivar outras cenas impactantes do cruzamento.

O comerciante investiu em sistema de monitoramento por câmeras com objetivo de aumentar a vigilância do estabelecimento, mas as câmeras acabaram ganhando outra funcionalidade, a de registrar acidentes. Desde que instalou as câmeras, no ano de 2013, já foram arquivados 27 acidentes, desses, três foram com vítimas fatais.

Os últimos acidentes registrados aconteceram na semana passada. No dia 7 foi entre um carro e uma ciclista. E no dia 10, foi uma colisão entre dois carros.

Em março deste ano, a câmera também flagrou uma motociclista sendo atingida por um carro que cruzou a preferencial. Ela estava em alta velocidade e ao se chocar com o veículo, o corpo foi lançado para o outro lado da rua. A condutora da moto, segundo informações, quebrou a bacia.

O acervo do comerciante, contém muitos registros envolvendo motociclistas. Acidentes leves e graves. Em um dos arquivos, aparece um ônibus fazendo a curva, e ao completar, se nota um motociclista sendo arrastado. Ele estava a direita do coletivo, o tempo todo.

As imagens revelam que a imprudência, a falta de atenção e o excesso de velocidade, em alguns casos, colocam os condutores em situações fáceis de serem evitadas.

“O que ela tá registrando aqui ultimamente é só tragédia, uma coisa que a gente não quer pro nosso dia a dia, por que são vidas que são ceifadas e saem daqui mutiladas, quebradas e não é isso que a gente quer”, comenta o comerciante Sérgio Abreu.

Quem trabalha nas proximidades do cruzamento sugere sinalização e redutores de velocidade.

“Uma lombada, semáforo, até radar servia. Como eu trabalho de entregador e é perigoso, por que ninguém respeita os cruzamentos. Eu peço as autoridades que olhem pra cá, por que se acontecer outra tragédia, daí vão olhar pra gente”, sugere o entregador Catley Bezerra.