Terça-Feira, 07 de Abril de 2020
Você está aqui: Home Polícia Policial acusado de matar Rafael Frota vai à júri popular

Polícia

Policial acusado de matar Rafael Frota vai à júri popular

Decisão da 2ª Vara do Tribunal do Júri

A justiça do Acre determinou que o policial federal Victor Campelo, acusado de matar o estudante Rafael Frota com um tiro dentro de uma boate, seja submetido a júri popular por homicídio simples. 

A decisão é da 2ª vara do Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça do Acre. O julgamento ainda não tem data definida para ser realizado.

O advogado Wellington Silva, que faz a defesa do policial, disse que entrou com recurso na câmara criminal. “Esse recurso manejado pela defesa um dos efeitos dele é o efeito suspensivo, ou seja, até que ele seja julgado não poderá ser pautado essa sessão plenária. Nós estamos aguardando acreditamos na tese, acreditamos sim que é possivel reverter essa decisão”.

Victor Campelo foi transferido para outro estado a pedido da defesa, segundo Wellington Silva, o policial teria sofrido ameaças, “ano passado durante o curso do processo houve um evento em que uma dessas pessoas, um desses indivíduos, muito violento, conhecido na cidade atentou contra integridade física dele.”

Neide Frota, mãe da vítima, disse que vive um pesadelo desde a morte do filho. “Todos os dias acordo pensando que meu filho vai me dar bom dia, a noite eu penso que ele vai me dar boa noite e ele não dá. Então, as pessoas na rua reconhecem a gente comentam o assunto, tem gente que é discreto não fala nada, mas o que mais me conforta hoje é que a justiça enfim vai ser feita ”.

Ela afirma que acredita na justiça e espera que o caso não fique impune. “O que eles queriam é que nunca chegasse a isso, a júri popular, então a gente á conseguiu uma vitória. As pessoas sempre me diziam Neide espera, e eu fiquei quase quatro anos esperando por isso. Meu filho era uma pessoa tão de luz que deve estar descansando desde o dia em que morreu, mas eu como mãe espero essa justiça” concluiu Neide.

Relembre o caso

O estudante de Odontologia Rafael Frota, 26 anos, foi morto com um tiro no abdome, na boate Set Clube, região central de Rio Branco no dia 2 de julho de 2016. O tiro teria saído da arma do policial federal Victor Manoel Fernandes Campelo.

 

 

Policial acusado de matar Victor Campelo vai à júri popular

Decisão da 2ª Vara do Tribunal do Júri

A justiça do Acre determinou que o policial federal Victor Campelo, acusado de matar o estudante Rafael Frota com um tiro dentro de uma boate, seja submetido a júri popular por homicídio simples.

A decisão é da 2ª vara do Tribunal do Júri do Tribunal de Justiça do Acre. O julgamento ainda não tem data definida para ser realizado.

O advogado Wellington Silva, que faz a defesa do policial, disse que entrou com recurso na câmara criminal. “Esse recurso manejado pela defesa um dos efeitos dele é o efeito suspensivo, ou seja, até que ele seja julgado não poderá ser pautado essa sessão plenária. Nós estamos aguardando acreditamos na tese, acreditamos sim que é possivel reverter essa decisão”.

Victor Campelo foi transferido para outro estado a pedido da defesa, segundo Wellington Silva, o policial teria sofrido ameaças, “ano passado durante o curso do processo houve um evento em que uma dessas pessoas, um desses indivíduos, muito violento, conhecido na cidade atentou contra integridade física dele.”

Neide Frota, mãe da vítima, disse que vive um pesadelo desde a morte do filho. “Todos os dias acordo pensando que meu filho vai me dar bom dia, a noite eu penso que ele vai me dar boa noite e ele não dá. Então, as pessoas na rua reconhecem a gente comentam o assunto, tem gente que é discreto não fala nada, mas o que mais me conforta hoje é que a justiça enfim vai ser feita ”.

Ela afirma que acredita na justiça e espera que o caso não fique impune. “O que eles queriam é que nunca chegasse a isso, a júri popular, então a gente á conseguiu uma vitória. As pessoas sempre me diziam Neide espera, e eu fiquei quase quatro anos esperando por isso. Meu filho era uma pessoa tão de luz que deve estar descansando desde o dia em que morreu, mas eu como mãe espero essa justiça” concluiu Neide.

Relembre o caso

O estudante de Odontologia Rafael Frota, 26 anos, foi morto com um tiro no abdome, na boate Set Clube, região central de Rio Branco no dia 2 de julho de 2016. O tiro teria saído da arma do policial federal Victor Manoel Fernandes Campelo.

agazeta logotipoAv. Antônio da Rocha Viana, 1.559
Vila Ivonete - Cep. 69.914-610
Rio Branco - Acre
Tel.: (68) 2106-3050
Fax: (68) 2106-3081



Fique Conectado